3 de outubro de 2009

de noite

vi-te de soslaio e voltei-me para trás.
o teu corpo misturado com o dele,
vossos lábios unidos secretamente.

viste-me,
escondeste a face atrás da dele.
aproximei-me e fugiram. vossas mãos coladas.

quando vieste ter comigo à noite,
era o seu perfume que te dominava o corpo
e disseste "adeus".


acordei de um sobressalto,
corpo encharcado de suor e um grito desafinado.

ali estavas tu.
pestanejaste (acordei-te).
abraçaste o meu corpo e voltaste a fechar os olhos:
"foi só um sonho sem cor, meu amor, dorme de novo."
(a tua voz com sono)
"sonhos magenta."
(a minha voz confusa ainda)
e voltaste a adormecer.

foi só um sonho sem cor, meu amor, mas não voltei a adormecer.

6 comentários:

  1. «foi só um sonho sem cor, meu amor, mas não voltei a adormecer.»

    Volta a dormir que poderá vir um sonho com cor ***

    ResponderEliminar
  2. "mas não voltei a adormecer"

    gosto da tua, como é que eu ei-de dizer, arte, expressão, criatividade, imaginação...
    o que quer que seja, gosto x)

    ResponderEliminar
  3. Obrigado eu! :)

    O que eu penso: Tens uma alma pura mas dificil de penetrar! É bonito o sentimento que escondes nas entre-linhas!

    ResponderEliminar

deixa um vestígio de ti e foge para onde eu te possa encontrar.